segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

LIVRO ONLINE - "O JORNAL DO BISPO" - A HISTÓRIA DA FOLHA DO NORTE DO PARANÁ

Para você, visitante do blog, apresento O JORNAL DO BISPO – A HISTÓRIA DA FOLHA DO NORTE DO PARANÁ, um importante fragmento da vida de Maringá contado por gente que escreveu a História nas páginas da Folha do Norte do Paraná. Capítulo a capítulo. Textos e imagens impregnados de história. O primeiro livro online de Maringá-PR

Saiba ou relembre os fatos marcantes narrados por gente que teve estreita relação com a Folha do Norte, a trajetória do jornal, fundado em 1962 pelo arcebispo de Maringá, dom Jaime Luiz Coelho, e que encerrou as atividades em 1979, e viaje pelas ruas e pelos fatos de uma cidade em construção. Conheça o espírito de Maringá e da imprensa das décadas de 1960 e 1970 em 68 cpítulos.








Fachada da Folha do Norte (1962)

foto: site www.maringa.com

3 comentários:

Anônimo disse...

Taí, grande De Paula! Receba meus parabéns pela iniciativa pioneira do livro online. Ao alcance dos dedos, a um click do mouse, maringaenses (ou não) de todo mundo poderão reviver um pouco mais da nossa rica História e, claro, terão o prazer de viajar em mais uma de suas sempre belíssimas obras. Que deus o abençoe em mais esta jornada, querido amigo!

Um forte abraço!

Leo Vianna

Joel Cardoso disse...

Grande confrade!

Espero com uma certa nostalgia o resgate dessa história do jornalismo maringaense. Principalmente em razão de minha vida jornalística ter começado na Folha do Norte. Primeiro, como colunista social substituindo Frank Silva. Depois, assumindo outros cargos na redação, sempre ao lado do redator-chefe Elpídio Serra, Walter Poppi, do colunista "De Olho em tudo" do saudoso Valdir Pinheiro e tantos outros. Nuca esqueço os conselhos de A.A. de Assis, diretor da Folha nomeado por Dom Jaime. De Jorge Fregadolli, Ivanberg Kun Pereira e do nosso "racha" no "Capim Gordura". São muitas as histórias.
Parabéns pela iniciativa.

Joel Cardoso

Anônimo disse...

Que bacana o blog.Só agora tomei conhecimento, mas li sobre o documentário e fiquei muito curiosa!
Parabens!
Rosana Steinke