quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Ary, o poeta que amou Maringá

Quem te avista nos dias de agora talvez não saiba quantos lutaram para que tu chegasses à condição de terceira cidade paranaense. O que seria de ti se não existissem homens que empunhassem a caneta para contar tua história? Ary de Lima, por amor e com competência, fez a maior declaração que um morador poderia fazer a ti. Com o coração repleto de júbilo e agradecimento, o poeta Ary de Lima gravou ainda mais seu nome à Cidade Canção, escrevendo o hino da menina Maria do Ingá.

Outro brilhante professor, Aniceto Matti, se encarregou de colocar melodia àquela declaração de amor e gratidão e a parceria redundou num canto emocionado que vai atravessando gerações. O eclético Ary, falecido em abril de 98, deixou uma vasta folha de serviços prestados a Maringá. Uma folha escrita com emoção. Professor, vereador, deputado, radialista. E, acima de tudo, poeta.

Os feitos desse maringaense nascido na cidade mineira de São Sebastião do Paraíso, que grande contribuição deu ao progresso da Cidade Canção, jamais serão esquecidos porque sempre haverá numa escola uma criança cantando o Hino a Maringá. Em qualquer solenidade que a linda flor, a mais gentil do norte do Paraná for homenageada, lá estará a eterna lembrança do poeta Ary de Lima.

Há em ti o perfume das flores, a poesia de todos os ninhos, e uma luz que acende fulgores, clareando teus novos caminhos. Maringá, o teu nome sublime será porque tivestes a graça de receber, em teu seio, figuras como Ary de Lima, que fez da vida uma poesia sem deixar de atender sua gente. Ary fez poesia, ensinou e legislou. A tripla colaboração que o tornou uma grande eminência maringaense.

E para homenagear Ary de Lima, o melhor é buscar definições na sua poesia a Maringá: o teu vulto traduz a mensagem de um passado coberto de glória, um passado que exemplo nos dá. Ary pode ser saudade, mas não é passado. Poeta nunca morre. Está sempre compondo novas estrofes, aqui ou em qualquer outro lugar.

(Livro Da minha janela, publicado em 2003)

2 comentários:

Caroline Rocha disse...

Oiee De Paula..
Que legal seu blog. Estou adorando ler estes textos gostosos, divertidos..
Resolvi comentar neste em especial por você ter sitado uma pessoa ilustre... Aniceto Matti. Ele é meu primo, alias, primo da minha mãe. Ele deu aula de piano para a minha mãe e a minha tia há muitos, mas muitos anos atrás. Hoje ele está enterrado no Cemitério Municipal, no mesmo túmulo do meu avô.
Grandes homens estes em!!!

Voltando ao seu blog. Muito legal.
Parabéns!!!!!!!!!
Continue nos felicitando com belos textos, como estes que li até agora.

Beijossssssssssssss

Caroline Rocha disse...

Ops...no comentário passado coloquei "sitando" e é citando...hahahaha